"Bem aventurados os pobres de espírito"

Pobres de espírito, cordeirinhos indefesos, presas fáceis

"Pobres de espírito" no Sentido 1:

É claro que Nietzsce parece ter sido influenciado pela teoria da evolução biológica das espécies de Charles Darwin... e teria então tentado criar uma filosofia condizente com isso aplicado ao homem, e é claro que isso foi um grande erro. Mas resumir todo o projeto de Nietzsche ou sua intenção ao seu erro, é cometer um reducionismo... que é um outro erro.

O erro dele (Nietzsche) foi adotar o evolucionismo para a construção de uma ética baseada nele... ou seja o erro dele não está na crítica à moral cristã que ele fez, mas sim na escolha de uma proposta para a substituir... claro, naquela época Hoppe ainda não tinha criado sua ética argumentativa e nem provado a auto-propriedade como auto-evidente e como fundamento de toda a ética jusracionalista hoppeana.

Mas é bem provável que ele, se pudesse ter conhecido essas ideias, veria que elas são totalmente compatíveis com o homem que ele propunha, um homem diferente daquele prostrado e humilhado, sempre ovelha, pacifista, manso, que aceita tudo, se conforma, e que inventa uma moral para condenar os que conseguem as coisas que ele não consegue ao mesmo tempo que o glorifica por não ter aquelas coisas (uma moral dos fracassados - que ele chama de "moral de escravos").

"Bem aventurados os pobres de espírito"

O pobre de espírito nesta passagem, apesar dos cristãos tentarem negar e fazer parecer outra coisa para não dar razão a Nietzsche, pode muito bem ser entendido com "o resignado", "conformado", "que não ambiciona grandes coisas", ou "o que não almeja coisas deste mundo"... "o fracassado que só busca do além e no aquém nada tem". Aquele que "Como as aves do céu que não semeiam nem ceifam e contudo ainda vivem". Em suma, os pobres de espírito são o que poderíamos chamar de espírito de pobre. E dizer que estes sejam "bem aventurados" é nada mais que um estímulo à pobreza material pela falta de desejo de adquirí-la, ou pela condenação aos ricos e da riqueza... como diria Nietzsche... a moral dos ressentidos... dos que não conseguem ter e portanto culpam os que tem, colocando o "não ter" como virtude - via inversão de valores por incapacidade de adequar-se aos verdadeiros valores.

É tipo mudar a regra do jogo para vencer sem precisar mudar a si mesmo ao invés de mudar a si mesmo para poder vencer respeitando as regras do jogo. Ser o principal de um grupo (ou "príncipe") significa que não há falta de pretendentes ao seu posto. Tendo isso em conta a ideia do imperador Constantino era de ao criar esse mito, fazer com que as pessoas não desejassem grandes coisas materiais e se conformassem com o pouco... pois quando todos querem o poder e a glória quem a detém não tem paz nem tranquilidade, por isso é desejável que a maioria abra mão de querer estas coisas, abraçando em seu lugar, e, se conformando, com promessas de um futuro glorioso em troca do poder e da glória aqui.

Para mais detalhes sobre isso acesse:
1) www.ancapcristao.vai.la
2) www.entendendooestado.vai.la

Fontes sobre Nieztzsche:
1) https://pt.scribd.com/doc/61657597/Nietzsche
2) https://pt.scribd.com/doc/3758079/A-moral-para-Nietzsche-e-uma-invencao-dos-fracos

-------------------------------------------------------------

"Pobres de espírito" no Sentido 2:

Evangélicos e o louvor à ignorância ("pobreza de espírito, conhecimento, esclarecimento")

Reflexão inicial: A quem será que interessa existir multidões que crêem mas não gostam de pensar, que acham que pensar por si próprios é um crime/pecado? Não seria aos mesmos que sempre procuraram esconder do povo tudo que é pensamento que difira do que eles mesmo dizem ser a verdade? "Index" te lembra algo mais além da página principal de um site? ("ah, mas a igreja católica criou a universidade"... - E a Academia de Platão? E o Liceu de Aristóteles? E a Escola/Biblioteca de Alexandria? Estas não foram nada? Ou elas só seriam algo se fosse a igreja que tivesse criado?) Não seria àqueles que pregam que estudar e realmente buscar conhecer as coisas seria uma "vaidade"? Óbvio que sim!

____________________________

O conhecimento é o maior inimigo da fé ou seja, das crendices e superstições em geral, por isso é necessário negar o valor dele, fazer com que as pessoas se sintam culpadas ao adquiri-lo, para que desistam dele e se apeguem aos discursos inflamados de caráter apelativo e emocional que diz de si mesmo ser a verdade absoluta e inquestionável ...(confere) só assim se manipula perfeitamente a mente de alguém ... (e manipulando a mente se manipula o corpo e tudo o mais que ele pode fazer ou produzir) mas pera ai ... isso tem nome ... se chama lavagem cerebral ... nas igrejas isso é chamado por um nome mais bonitinho, eles chamam de "conversão mental" ... "ter a mente de um convertido" ...

____________________________

Veja aqui as técnicas psicológicas usadas pelos líderes de culto nos templos:

1) http://pt.scribd.com/doc/91471729/Dick-Sutphen-A-Batalha-pela-Sua-Mente-Tecnicas-de-Persuasao-e-Lavagem-Cerebral-PNL
2) https://www.youtube.com/watch?v=XxPZcGEWiB0&list=PLD45520722BF9091D&index=10
3) https://www.youtube.com/watch?v=aDSKsuz9Hcs&list=PLD45520722BF9091D&index=11

____________________________

Os evangélicos "graças à fé que tem" são fideístas e para o fideísmo a fé, a escritura e a graça bastam, a razão portanto pode ir para o lixo, pois segundo eles a razão humana é enganosa devido ao pecado original que corrompeu perfeita ordem da natureza da criação. Uma desculpa mitológica para em outras palavras dizer ao povo: "Não pensem, não raciocinem, não critiquem, não questionem, apenas creiam no que nós lhes dissermos e façais aquilo que nós lhes mandamos/ensinamos". Toda dúvida, crítica racional etc é vista como pecado ... nada melhor do que tal imunidade para os líderes de culto, se alguém fala contra "tá sendo usado pelo inimigo". Assim a razão é demonizada e a crença cega sem evidências e sem razão para suportá-la é posta como a maior das virtudes, num explícito ato de louvor à ignorância das massas (ignorância esta tão desejada pelos [engenheiros sociais] manipuladores). Veja-se como o clero católico chama os seus fiéis não clérigos, de "leigos". Deste modo crentes são tratados pelos líderes como gado, como "idiotas úteis" que são "completamente manipulados e manipuláveis - mas apenas por seus líderes religiosos". Afinal, é para isto que existe religião!

____________________________





Saiba mais sobre esse tema... veja os ítens do 4 ao 7 desta página: A relação entre dos que escravizam o povo (governantes) com a religão

Não seja uma presa fácil para aproveitadores de gente de espírito fraco, comece por aqui

Continue aqui.


Página Inicial