O Esquerdismo Se Tornou Uma Religião



Se o estatismo já era uma religião, agora se tem mais uma no plano político, aqueles que além de serem da seita dos estatistas também são da seita dos esquerdistas. E como os esquerdistas no fundo não tem argumentos nem um discurso coerente para defender suas falácias já a um bom tempo derrubadas, então o pensamento dos esquerdistas se baseia na caricaturização de pessoas e ideias, seu esforço é voltado a criar esteriótipos de pessoas e pontos de vista, mas principalmente de pessoas. Os pensamentos são torcidos o suficiente para parecerem desumanos e então fazer a caricatura ou o esteriótipo quem defende aquele pensamento. Esse parece ser invariavalmente a única finalidade deles falarem nos pontos de vista de que discordam, não para demonstrarem racionalmente algo de que discordam ou criticam, mas para deturpar e com base na deturpação acusar quem o defende pintando-o de odiável, canalha, vil, desprezível, traidor, mentiroso, falso, explorador que "finge" se importar com os outros ou algo do tipo. Já quando se trata de um esquerdista, mesmo ele sendo um sujeito medíocre é cultuado como uma grande personalidade, nobilíssimo, grande, virtuoso... é feita toda uma romantização dessas personalidades (MAVs), o que é algo típico do fascismo.

É um discurso constituído exclusivamente de emotivismos e afetações (acolhimento e repulsa) pelas figuras que eles, com suas narrativas, constróem para serem idolatrados ou odiados. Eles constroem uma cena imaginária onde tudo não passa de uma trama entre "mocinhos e vilões", "bem intencionados x mal intencionados", "bons x maus" onde todo não esquerdista é um mau, opressor e todo esquerdista um coitadinho, oprimido. E como o discurso emocionado fisga facilmente os menos dados ao rigor da lógica e da metodologia científica e filosófica (a maioria) a carga emocional do discurso entra no lugar da lógica que falta àquele discurso. O culto a personalidades são o preâmbulo do culto maior aO Líder Adorado e Idolatrado. Esse Líder é considerado como tendo o monopólio da virtude, e as personalidades que o defendem participam dessa natureza divina, só que resguardada uma devida proporção, visto que elas não são O Líder. Por isso também que todos aqules que se posicionam contra ele já automaticamente ficam do lado "mau" pois estão do lado oposto àquele que detem o monopólio da virtude. É uma questão personalista e não epistêmica ou doutrinária.. Note que Lula disse que Temer era Judas, Dilma era Maria e ele Jesus. Em países como a Coréia do Norte o presidente é tido como O Grande Lider, a veneração às estátuas dos pais dele é obrigatória e sua violação pode dar pena de morte.





Página Inicial