ARGUMENTOS CONTRA A DEMOCRACIA




Introdução

1) Argumento Epistemológico Contra A Democracia Em Qualquer De Suas Formas:

(Esse argumento mostra a democracia por privilegiar a quantidade em detrimento da qualidade leva a decisões ruins. E também que "a verdade não se faz pela democracia", se 8 bilhões de pessoas disserem que 1+1=3 e só uma estiver dizendo que 1+1=2... 1+1 continuará sendo =2)

Um acidente acontece numa obra onde há 125 operários trabalhando... 3 deles tem ferimentos leves mas um fica gravemente ferido no chão... há 1 médico no local... mas a maioria não quer deixar o médico atender porque diz que a vítima tem que ser levada a um hospital... já o médico diz que se ela não for atendida imediatamente ela vai morrer... se aplicado a democracia onde o que importa é a voz da maioria e não dos mais preparados, então o sujeito não terá chance de viver. Esse exemplo deveria ser o suficiente para mostrar que a democracia (em qualquer de suas formas e não só a representativa ou a direta) não presta.



2) Argumentos Éticos Contra A Democracia Em Qualquer De Suas Formas:

(Esses argumentos mostram a democracia enquanto sistema de decisão pública se baseia na falácia "non sequitur" e leva necessariamente a decisões eticamente inválidas.)

O fato de um grande número de pessoas quererem impor uma X coisa na propriedade que não é deles não dá a eles o direito de fazer tal imposição só porque estão em um número maior de pessoas, afinal, a propriedade não é delas e portanto não tem o direito de dizer o que deve ser feito ou não com ela, não importando em quantos estejam (claro que isso no plano da ação humana poderia significar uma ameaça direta ao direito de propriedade, porém não uma ameaça legítima e sim ilegítima.E no plano epistêmico equivaleria à falácia conhecida como argumentum ad baculum.



Exemplos:

Exemplo A: Jorge deve ajudar:






Exemplo B: O governo é mágica:






Exemplo C: O que é um direito?




3) Argumento Extra Contra A Democracia Atual Da Maioria Dos Países Democráticos:




4) Vários Outros Argumentos Contra A Democracia: http://imgur.com/a/MMpNV


5) Livro... Democracia, O Deus Que Falhou: http://rothbardbrasil.com/wp-content/uploads/arquivos/deus-que-falhou.pdf


6) Livro... Além da Democracia: http://rothbardbrasil.com/wp-content/uploads/arquivos/democracia.pdf


7) A Liberdade é Mais Importante Que a Democracia http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=325


8) A Democracia Não é a Solução, Mas Sim o Problema http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=325


O PACIFISMO TORNA O MUNDO MAIS VIOLENTO.... E A DEMOCRACIA É UMA DAS MAIORES CAUSAS DO PROBLEMA

O voto não te dá poder algum, apenas tira de ti o poder. O que te dá poder são as armas, por isso existe o desarmamento, para que tu nunca tenhas poder algum e quem te escraviza (o estado) tenha todo o poder sobre ti.

A anarquia é a ordem, a propriedade é a lei. O estado é o caos e a barbárie institucionalizados e travestidos de civilização.

Pela ideologia do desarmamento e do pacifismo (politicamente correto), do 'não se preparar para o enfrentamento' a maioria sempre acha bonitinho, acha que faz sentido frases como "se ninguém tiver uma arma, quem daria o primeiro tiro?"... só que na vida real alguns nunca abrem mão das suas armas e são justamente estes os que mais tem interesse que a maioria compre o discurso do pacifismo e do desarmamento.

Logo, uma massa de otários é desarmada enquanto alguns psicopatas que lutaram pelo desarmamento da maioria usufruem do poder de serem os únicos com armas e poder fazer o que bem entendem com os idiotas úteis desarmados. Eles querem uma massa de pessoas que acreditam em historinhas bonitinhas, politicamente corretas e que achem super legal estarem desarmados e despreparados para enfrentar quem lhes agrida. Teria algo mais desejável do que isso para aqueles que são agressores?

Mas vejamos, inverta a frase entre aspas acima que faz muito mais sentido... se todos tiverem uma arma (ou se a maioria tiver) quem ousará dar o primeiro tiro contra um inocente? Essa é a verdade que os psicopatas agressores não querem você saiba!!!

Algumas verdades sobre a democracia

Seja a ela a representativa, a direta, a pura, a super democracia, a democracia direta digital ou a aristodemocracia, a democracia qualificada ou a por discernimento ou ainda qualquer outra possível ou por se inventar que desde que sendo um modelo para a decisão política (e não para a simples decisão entre indivíduos que celebram contratos entre si com consequências apenas nas vidas destes): 1) http://i.imgur.com/dMUcHqh.png 2) No caso da representativa à primeira vista http://i.imgur.com/EgGU8Hq.jpg (mas não só dela, pois o "pau" ali pode ser entendido não somente como "o político" mas sim também "qual é a ideia ou proposta" que você será obrigado a cumprir (mesmo que sendo algo da área que diga respeito só a você mesmo - tal como fumar maconha ou não) por decisão de outros. 3) http://i.imgur.com/YCznYrN.jpg (e não adianta dizer que existem direitos fundamentais nos quais essas decisões coletivas não poderiam tocar pois esses próprios direitos fundamentais já são uma distorção dos direitos naturais). Democracia é ditadura da maioria. Cada um cuidando e decidindo o que quer para si (e só para si) é melhor. O respeito aos direitos naturais é melhor. Que cada um seja rei de sua própria vida, desde que respeitando os direitos naturais dos outros. O que não pode é uns decidir como será a vida dos outros (ofício da política por excelência), pois viola o direito de auto-propriedade das pessoas sobre seus próprios corpos, sobre seu presente e futuro, sobre sua liberdade e direito de escolher o que quer para si, sobre o direito de escolher como quer viver.

Dizem que cada povo tem o governo que merece.

Eu que nunca vi povo governando, só sendo governado só posso dizer que nenhum homem jamais teve a chance de ter o governo que merece: O SEU.

Dizem também que os anarquistas querem acabar com todos os governos. Se isso é verdade quero o contrário.

O problema não são os governos, mas sim a falta deles. Ou melhor, a falta de tantos deles para tantos de nós.

Governo é coisa importante; mas uma coisa tão importante que nenhuma pessoa jamais deveria renunciar ao seu.

Portanto, governe-se.

Não entregue a soberania sobre a sua vida para ninguém, tenha ele coroa, título, diploma, aureola ou simplesmente muito poder ou dinheiro.

Não renuncie ao direito de decidir sobre seu próprio destino. É chegada a hora de deixarmos de ser meros telespectadores da nossa própria vida, e voltarmos a ser atores e protagonistas da nossa vida social e politica.

Governe-se para não ser governado.

Não seja povo, não trate ninguém como povo. Ninguém gosta de ser chamado de povo nem ser tratado como povo. O povo é uma massa amorfa dotada de uma vontade coletiva fictícia pronta para ser conformada.

Seja humano.

O ser humano é intrinsecamente dotado do direito de se governar. Afirmar o contrário disso implicaria que você não é seu, ou que outra pessoa tem mais direito sobre você do que você mesmo - o que é absurdo.

Porque livre é homem que decide sobre os destinos de sua vida pessoal e social. Não sozinho, mas junto com os outros homens. Porque liberdade não se faz sozinho, mas em sociedade. Isolamento não é liberdade é solidão.

Não! Sei que é impossível não perder a vontade de participar da vida pública. Mas não é impossível retomá-la. Mais do que isso, é preciso retomá-la, porque essa vontade é inalienavelmente sua.

Se deixou de lado, a busque. Se a deu, a pegue de volta. Porque ela não é deles. Sua vontade, seu poder de decidir, pertence a você, e só a você.

É por isso que a escravidão é mais que proibida, é moral e legalmente impossível.

Qualquer contrato de servidão mesmo que voluntária é nulo, pois assim como ninguém pode entregar o que não tem como dar, ninguém jamais poderá deter o que o outro não poderia ter dado.

A vontade é inalienável. E o que vale para os contratos que implicam em escravidão econômica vale ainda mais para os contratos sociais que geram a servidão política.

Porque nosso direito politico nossa liberdade civil não consiste na obrigação de eleger quem irá nos governar. Mas no direito de tomar diretamente nossas decisões sobre a vida pessoal, sobre nossa propriedade.

Parte 2
Mais um pouco sobre a democracia





Política, Ética, Economia e Direito